David Trubridge

por valeriamidena em fevereiro 3, 2011

Coral lamp :: David Trubridge

Vi pela primeira vez a luminária Coral, de David Trubridge, na DWR do Soho, em NYC, uns 2 anos atrás. Dos clássicos do século XX a peças contemporâneas criadas por talentos ainda pouco conhecidos, os móveis e objetos encontrados nessa cadeia de lojas americana são sempre muito bem selecionados, chamando a atenção invariavelmente pela beleza e pela elegância, e algumas vezes – como nessa – também pela inovação.

A luminária estava instalada num ambiente mais intimista ao fundo da loja, e o efeito de luz e sombras criado por seus cheios e vazios era arrebatador. Fiquei também sensibilizada com o contraponto que parecia existir na essência daquele objeto: como era possível obter um resultado tão delicado e orgânico a partir da montagem de um quebra-cabeças cujas peças são todas idênticas, racionalmente projetadas e industrialmente (re)produzidas?

Uma rápida pesquisa sobre o designer trouxe informações reveladoras: graduado em arquitetura naval na Inglaterra, morou num barco por 5 anos, quando então começou a desenhar mobiliário; sua produção utiliza madeira proveniente de plantações de manejo sustentável e seus projetos têm como princípio obter o máximo de efeito com o mínimo de material; ainda, David acredita na perenidade como atributo do bom design e na arte como propulsora do desenvolvimento humano.

Ao tomar conhecimento dessa história, pude entender que o prazer que senti ao ver essa luminária não tinha decorrido apenas da apreciação de suas belas formas ou de seu efeito visual, mas também da percepção de sua alma. Acredito que a alma, quando existe nas coisas, conversa diretamente com a nossa – e é nessa conversa que residem as razões do gosto e do prazer que somos capazes de sentir.

Para saber mais:
www.dwr.com
www.davidtrubridge.com

Leave your comment

Required.

Required. Not published.

If you have one.