Post p/ a categoria “coisas do sentir”

Imensidão azul

por valeriamidena em

                      Descobri a pintura de Deborah Paiva quando vi, pela primeira vez, a imagem que ilustra este texto. Eram meados de 2015 e a imagem me saltou aos olhos em uma rede social, (…)

Read the rest of this entry »

Forma, função e fantasia

por valeriamidena em

                    “Nosso propósito é enriquecer a vida por meio da beleza.” A frase de Pia Wüstenberg traduz precisamente o que sentimos quando nos deparamos com alguma de suas criações: como num (…)

Read the rest of this entry »

“Felicidade se acha é em horinhas de descuido”

por valeriamidena em

                  Singela homenagem a Guimarães Rosa No aroma do café fresquinho Na manteiga que derrete no pão No cheiro de mato molhado Na ducha fresca, no verão Andando descalço pelo chão No (…)

Read the rest of this entry »

A estetização do mundo

por valeriamidena em

            “Não estamos mais no tempo em que produção industrial e cultura remetiam a universos separados, radicalmente inconciliáveis; estamos no momento em que sistemas de produção, de distribuição e de consumo são impregnados, penetrados, remodelados (…)

Read the rest of this entry »

Dos lugares que nos habitam

por valeriamidena em

  Da ‘Odisséia’ de Homero às ‘Cidades Invisíveis’ de Calvino, são incontáveis os belíssimos encontros ocorridos, ao longo de nossa História, entre literatura e viagem. Diferentemente dos guias, que têm por objetivo fornecer informações de ordem prática sobre uma determinada (…)

Read the rest of this entry »

Intolerância

por valeriamidena em

                  ‘Intolerance: Love’s Struggle Throughout the Ages’ (‘Intolerância’, em português) foi lançado em 1916 por D. W. Griffith. Com custo de produção sem precedentes à época, o filme, ainda mudo, tem cerca (…)

Read the rest of this entry »

Forma e pensamento

por valeriamidena em

                      Dentre os artistas europeus que imigraram para o Brasil durante ou logo após a 2ª Guerra Mundial, e que tanto contribuíram para o enriquecimento da linguagem das nossas artes (…)

Read the rest of this entry »

Oubliez tous vos clichés

por valeriamidena em

                  Uma voz doce e rouca que canta com entusiasmo e simplicidade de menina, mas atitude e competência de gente grande. O canto inovador de Isabelle Geoffroy – ou Zaz, como é conhecida – (…)

Read the rest of this entry »

A chave

por valeriamidena em

                      “27 de fevereiro … Como eu imaginava. Minha esposa mantém um diário. Até hoje tomei a precaução de não escrever isso neste caderno, mas na verdade minha atenção foi vagamente (…)

Read the rest of this entry »

Ouvindo a própria voz

por valeriamidena em

                      “É isso que você quer fazer? É desse jeito que você imagina explorar a música?” Bobby McFerrin conta que, ainda jovem, impactado e encantado ao ouvir o trabalho que (…)

Read the rest of this entry »