A força e a beleza das palavras

por Valéria Midena em abril 11, 2011

Xenon on Berlin’s Matthäikirche, 2001 © Jenny Holzer

 

 

 

 

 

 

 

 

Nascida em Ohio, em 1950, Jenny Holzer é uma artista que ao longo das últimas três décadas vem consolidando um lindíssimo e impactante trabalho nas artes visuais. Embora tenha navegado pelo abstracionismo no início de sua carreira, ao final da década de 70, quando se mudou para New York, Holzer elegeu a palavra como força motriz de sua obra, e passou a se utilizar de mídias não convencionais, como outdoors, painéis de LED e projeções luminosas, para fazer chegar ao espectador as duas dimensões que compõem uma palavra: a forma e o conteúdo.

Os textos de que faz uso têm as mais diferentes origens: muitos são seus próprios escritos, outros são poemas internacionalmente conhecidos, outros ainda têm como fonte documentos governamentais. Mas Holzer se utiliza dessa diversidade para trabalhar numa vertente única, que fala de valores universais e estabelece contrapontos que tocam profundamente a todos nós: o público e o privado, o corpo político e o corpo físico, o universal e o particular.

Mais impressionante, porém, é o contraponto que Holzer constrói, em cada obra, entre forma e conteúdo: vemos, ao um só tempo, sensibilidade e força, gigantismo e fluidez, efemeridade e perenidade – tudo isso com um resultado plástico de beleza indiscutível.

Frente a uma obra de Holzer, não há como ficar indiferente. A força de sua palavra invade, da forma mais bela, nossos olhos, nossa mente e também nossa alma.

Para saber mais: www.jennyholzer.com
“ProtectProtect”, Jenny Holzer Exhibition at Whitney Museum, NYC, 2009 (video)

Leave your comment

Required.

Required. Not published.

If you have one.