Post p/ a categoria “coisas do pensar”

Tempo, tempo, tempo

por Valéria Midena em

As mitologias tiveram papel fundamental na construção das culturas ocidentais. Com suas histórias sem começo, meio ou fim, sem tempo e sem lugar, elas desprezam os limites exigidos pela racionalidade e permitem que nos apropriemos de suas narrativas, colocando-as em (…)

Read the rest of this entry »

Slow life

por Valéria Midena em

                  O Slow Movement começou a aparecer no final do século XX tendo como elemento central o estabelecimento de uma nova relação homem-tempo. Não surgiu como movimento social coletivo, estruturado, mas como (…)

Read the rest of this entry »

Minha cidade, meus caminhos

por Valéria Midena em

  Nasci e vivo em São Paulo, dirijo (e gosto de dirigir) há mais de trinta anos, mas há algum tempo venho me percebendo na contramão da grande maioria dos motoristas de minha cidade. Explico: não sou usuária do Waze. (…)

Read the rest of this entry »

Joia de artista

por Valéria Midena em

A ourivesaria esteve intimamente ligada a outras formas de expressão visual desde a pré-História. Diversas culturas, ao longo de séculos, representaram seus deuses, valores, hábitos e modos de vida por meio de pinturas, esculturas, vestimentas ou adornos – linguagens igualmente (…)

Read the rest of this entry »

Diálogo sensível

por Valéria Midena em

                    A ideia do belo como algo indiscutível, reconhecido como tal a qualquer tempo e por qualquer cultura, permeia desde sempre o imaginário humano. Da matemática das proporções na Grécia Antiga (…)

Read the rest of this entry »

Imensidão azul

por Valéria Midena em

                      Descobri a pintura de Deborah Paiva quando vi, pela primeira vez, a imagem que ilustra este texto. Eram meados de 2015 e a imagem me saltou aos olhos em uma rede social, (…)

Read the rest of this entry »

Philocalie

por Valéria Midena em

                        Em grego antigo, ‘philocalie‘ é um termo que significa “amor pela beleza”. Não por acaso, foi o nome escolhido por Valérie Solvit para o belíssimo livro que lançou (…)

Read the rest of this entry »

“Felicidade se acha é em horinhas de descuido”

por Valéria Midena em

                  Singela homenagem a Guimarães Rosa No aroma do café fresquinho Na manteiga que derrete no pão No cheiro de mato molhado Na ducha fresca, no verão Andando descalço pelo chão No (…)

Read the rest of this entry »

A estetização do mundo

por Valéria Midena em

            “Não estamos mais no tempo em que produção industrial e cultura remetiam a universos separados, radicalmente inconciliáveis; estamos no momento em que sistemas de produção, de distribuição e de consumo são impregnados, penetrados, remodelados (…)

Read the rest of this entry »

A beleza da imperfeição

por Valéria Midena em

                        Ao longo da História ocidental, o conceito de Beleza sempre esteve associado à ideia da perfeição. Na Grécia Antiga, a definição do belo estava estruturalmente ligada às noções (…)

Read the rest of this entry »